Wednesday, 25 August 2010

Textos curtos para Ítaca IV

Um futuro-presente projeto literário. “Textos curtos para Ítaca” é a primeira materialização de uma das várias e extensas idéias em literatura, essencialmente em prosa, mas com flertes em verso, colecionadas ao longo da jornada até Ítaca. Em fato, os projetos para contos e novelas e outras literaturas de longo fôlego, ainda estão em fase sketch, talvez nem maquete, e irão tomando forma ao ritmo das circunstancias, que sim, podem tardar como já tardam, mas ainda virão. Enquanto isso, num dia e momento aleatório, curiosamente com menos atraso, vão tendo agenda as mini-experiências em poesia e verso, do qual, lenta e despretensiosamente, faço um laboratório neste blog (único espaço onde o critério editorial é totalmente meu... ). Algum dia também ganharão forma impressa, sempre ao ritmo das possibilidades e, no dizer de Konstantinos Kavafis, do rogar por uma rota longa, mas em textos curtos.



Madrigalzinho* pouco tímido


E a saudade? Faço o que com ela?


Guarda toda pra mim


e a transforme em vontades


cada vez maiores,


mais e mais audazes -


if you know what I mean.


Pra que quando me vejas


nem te ocorra resistir.


E cada instante de ausência se traduza em beijos,


aquém de sotaques, imediatos desejos,


e desformas de vestir.


**Madrigal, modernamente em teoria literária, é uma forma fixa de se construir poemas curtos que geralmente usa cerca de dez versos, muitas vezes em uma única estrofe, e pode ser estruturado em variações de 7 a 11 sílabas poéticas de forma a que se preste à composição musical. Pode abordar galanteios, temos heróicos e libertinos. Sua flexibilidade favorece a imaginação criadora e o lirismo de expressão.

1 comment:

Juliana Vitorino said...

"Guarda toda pra mim" e "If you know what I mean" rimam de maneira engraçadinha.. sabe como é? rizinhos tímidos, por assim dizer. talvez mais tímidos que o teu madrigalzinho.