Wednesday, 9 June 2010

Não permita deus que eu morra sem ter visto a terra toda


Não permita, deus, que eu morra

Sem ter visto a terra toda

Sem tocar tudo o que existe

Não permita, deus,

Que eu morra triste

Dê-me a graça

De viajar de graça

Por essa esfera afora

De virar uma linda senhora

Uma linda lenda

Cantar cada fio da renda

Tecer cada cacho

De cabelo de anjo

Transformá-lo num bonito arranjo

Da mais bela canção

Não permita, deus, que eu me vá

Sem sorver esse guaraná

Sem espalhar meu fogo brando

E acalmar a brasa do mundo

E aquecer mais uma vez

O coração do universo

Nas contas do meu terço

Nas cordas do meu violão


Viajei. Fui e voltei. Ou ao revés? Enquanto considero, estudo e recupero, escuto e comparto descobertas da excelente poesia e música brasileira. “Oração ao Anjo” é uma canção dessa nova –para mim – compositora de nome Ceumar, mas me foi apresentada na interpretação cheia de arte de Rubi. O vídeo que achei na internet não tem exatamente uma boa qualidade, sobretudo de áudio, mas é uma síntese pertinente.


3 comments:

A DONA DO MUNDO said...

Não permita, deus, que eu morra
antes de 120 anos...
Antes de ter voado o mundo todo
e voltado pra cá...

Saudadeeeee
beijo

Liza Gutierrez said...

" É de vera"

Juliana Vitorino said...

May you grow up to the righteous
May you grow up to be true
May you always know the truth
And see the lights surrounding you
May you always be courageous
Stand upright and be strong
May you stay forever young...
May you stay forever young...

sempre lembro de "tu" quando escuto essa música do Bob Dylan. E eu sempre acho que tu vai ser "jovem pra sempre", porque essa é uma questão que vai muito más allá de una trintena de años. E, sendo assim, "calma, alma minha, calminha"... tu vai ver tudo o que tu quiser ver. Prometo (e eu sempre tenho razão.. ahahaha).