Thursday, 4 December 2008

¡Radio Venceremos, desde el territorio salvadoreño bajo control insurgente!


Em El Salvador, o pequeno pais da America Central, ha um pequeno museu cujo tamanho não é obstáculo para guardar o grande tesouro que conta a historia de um grande povo. O Museu da Palavra e Imagem, popularmente chamado de MUPI, possui, entre outras riquezas do seu acervo, uma coleção de mais de 30 mil fotografias, centenas de documentários, manuscritos e objetos que foram reunidos durante mais de onze anos quando o país vivia uma das mais violentas guerras civis da historia contemporânea da America Latina, nos anos 80. O responsável pela conformação desse arquivo de memória histórica foi justamente um dos protagonistas da historia do conflito entre a Frente Farabundo Marti para Liberacion Nacional (FMLN) e o exercito salvadorenho, financiado e articulado pelos Estados Unidos em tempos de radical intervencionismo norte-americano.

Carlos Henriquez Consalvi, melhor conhecido pelo pseudônimo de Santiago, nasceu na Venezuela, mas é salvadorenho com todo o coração. Ele foi o fundador e atual diretor do MUPI, mas antes esteve onze anos nas montanhas no norte de El Salvador no comando da Radio Venceremos.

Apos estudar jornalismo em Caracas, Consalvi parte para Nicarágua em um grupo de ajuda humanitária para prestar apoios aos atingidos pelo grande terremoto de 72, em Manágua. Ali conhece os Sandinistas, contribui para a queda do ditador Somoza e em dezembro de 81 chega a El Salvador para ajudar a FMLN a instalar uma emissora de radio clandestina na zona sob controle insurgente.

Foram anos de trabalho sob condições de extrema dificuldade, não raro sob bombardeio, que foi reconhecido internacionalmente como uma confiável fonte de informação sobre a guerra e sobre El Salvador durante toda a década de 80. O projeto ampliou-se e chegou a constituir o Sistema de Comunicacion Venceremos, que incluía a radio, publicação de periódicos e produção de documentários com apoio de jornalistas estrangeiros num labor marcado pela intensa participação das comunidades da região de Morazan, de onde a radio transmitia.


Santiago foi recentemente premiado pela fundação holandesa de Direitos Humanos Prince Claus por seu trabalho como jornalista comprometido com a criação de espaços de liberdade e pelo seu compromisso com a promoção da memória e reconstrução da sociedade salvadorenha.


***************


Em El Salvador pude conversar pessoalmente com Santiago, o fundador da experiência histórica que inspirou movimentos de radio comunitária por toda a America Latina. O resultado são projetos ambiciosos que serão devidamente divulgados no seu tempo. Antes disso, alem de uma longa entrevista com ele que também será em breve publicada, a RadioCom 104.5 FM, em Pelotas, Brasil, leva ao ar no programa “Contraponto” do dia quatro de dezembro, as 8h30 e também no programa “Navegando na Contra-informação”, as 16h, um rápido bate-papo exclusivo e inspirador para lutadores sociais e radioscomunitarios comprometidos com a democratização da comunicação. A RadioCom pode ser escutada online aqui.

4 comments:

Juliana Vitorino said...

Que foto tão bonita! Quem tirou? ahahahahahahaha
de 200, se salvam meia dúzia, se muito!

Nadja Saori said...

Oiii!!! Gostei muito destas informacoes. Acabei de achar seu blog no mundo pequeno, e curti bastante. Gosto de conhecer melhor lugares distantes... Bom trabalho!!!

Ate mais!

Juliana Vitorino said...

vou fazer um passo-a-passo e mando por e-mail.
não precisa se desculpar! só não queria modificar o texto sem q tu soubesse. mas, o que importa mesmo é que segunda publicam! Parabéns, totoposte! =P
precisamos atualizar o lattes!

Anonymous said...

a second publication e agaph??? well done!!!